[Resenha] F*deu Geral @intrínseca

Tive a oportunidade de ler o segundo livro do autor Mark Manson, famoso pelo livro a sutil arte de ligar o foda-se que resenhei aqui no blog nestes últimos dias, e se você leu minha primeira resenha deve estar se perguntando porque resolvi ler o segundo livro lançado pelo autor.


Sinopse: Do autor do mega-seller A Sutil Arte de Ligar o F*da-se. Vivemos em uma época interessante. Materialmente, nunca estivemos melhor - temos mais liberdade, mais saúde e mais riqueza do que em qualquer momento da história da humanidade. No entanto, tudo ao redor parece terrivelmente f*dido: aquecimento global, governantes horrorosos, economia em crise e todos constantemente ofendidos nas redes sociais. Temos acesso a tecnologia, educação e comunicação de maneiras que nossos ancestrais jamais sonhariam e, mesmo assim, sentimos essa desesperança esmagadora. O que está acontecendo, afinal? Se você também está se fazendo essa pergunta, o livro de Mark Manson é sua próxima leitura obrigtória. Em A Sutil Arte de Ligar o F*da-se, Manson, de maneira brilhante, deu forma à ansiedade que permeia a vida moderna - agora, em F*deu Geral, ele desvia seu olhar das falhas inevitáveis de cada indivíduo para as inúmeras calamidades que tomam o mundo. Ao trazer desde pesquisas psicológicas a pérolas da sabedoria atemporal de filósofos como Platão e Nietzsche (e Tom Waits), Manson disseca religião e política e trata de como as duas, desconfortavelmente, vieram a se assemelhar. Também explora nossa relação com o dinheiro, o entretenimento e a internet, e desafia de modo franco nossas definições de fé, felicidade, liberdade e, até mesmo, a própria definição de esperança. Um passeio inusitado e divertido pela dor em nossos corações e o estresse em nossas vidas.
Quando comprei o primeiro livro tive a oportunidade de obter o segundo em parceria com a editora intrínseca e por isso resolvi fazer um combo e ler ambos os livros, um seguido do outro, como mencionei na minha primeira resenha em alguns aspectos a primeira obra de Mark me causou certo desconforto, ressaltei a vocês as partes positivas e negativas de minha leitura.



Já nesse segundo livro á leitura fluiu um pouco melhor, pela forma como Manson escreve e pela abordagem que se tornou ao meu ver mais significativa do que antes, em F*deu Geral, conhecemos um outro lado da visão do autor que vale muito a leitura.

O livro possui uma história sólida e conectada parte por parte, achei isso um diferencial na escrita do autor, neste segundo volume senti muito receio de me decepcionar, porém foi melhor do que imaginei o autor abordou de forma muito singular assuntos que me interessam muito na atualidade que vivemos.


"F*deu Geral" trás uma reflexão inicial sobre depressão, tema importante e fortemente discutido, também aponta para sentimentos que teremos que enfrentar ao longo de nossas vidas, aqui o autor ressalta que sempre que vencermos uma dor ou algum obstáculo outros irão surgir porque afinal a vida é feita disso não é mesmo?

A questão é F*deu geral é um livro sobre esperança? Tai uma pergunta que a própria capa da obra apresenta e confesso que ao ler as primeiras páginas comecei a questionar o mesmo, vou ler sobre esperança? Sobre se ter esperança? Sobre o fim dela? 

Comecei de forma gradativa notar que a intenção do autor é mostrar que não importa o tamanho do problema que você se meteu e sim a maneira como você vai lidar com essa coisa toda. E ai vem a esperança de novo uma palavrinha intrigante nesta obra, devemos projetar esperança sobre tudo aquilo que estamos vivendo seja ruim ou bom?

A obra vem dividida entre detectar a importância de se ter pensamentos positivos e sucessivamente esperança e imaginar como seria se não pudéssemos sentir  que as coisas podem melhorar, se derrepente esse sentimento positivo não existisse. Como seria então viver em um lugar que sentir e pensar positivo não fosse permitido?



O autor nos coloca de frente para um sentimento que tememos muito, a dor, e a partir dai narra sua perspectiva de vida onde o ser humano deve interagir com sua própria dor, isso é algo que a própria medicina de diversas formas  vem trabalhando nas pessoas, e gostei muito dessa abordagem do autor, ponto para o Mark Eba!

Outra questão é saber se vale a pena sentir aquela dor ou devemos apenas deixa-la de lado e viver nossas vidas, perdeu o ponto Mark! Aqui eu descordei um pouco do autor, nem sempre conseguimos escolher sentir a dor ou não, nem sempre depende de nós, eu já vivi isso na pele sei do que to falando gente, não temos controle de tudo que sentimos por isso decidi que nessa questão precisamos falar mais a repeito.



Brincadeiras á parte não irei me estender mais nessa resenha, porque se não acabo entregando toda a obra á vocês, de maneira geral este segundo livro foi positivamente melhor que o primeiro, minha experiência aqui foi mais significativa, e preciso confessar o quanto é difícil falar abertamente sobre os livros que leio, muitas vezes as pessoas querem só pinceladas nos post  e isso me entristece dessa vez fiz diferente e me senti mais leve por isso.

Espero muito que tenham gostado!

Xoxo
Título: F*deu Geral|Gênero: Não Ficção|Páginas: 288|Editora:Intrínseca|
Minha Avaliação:3/5






Comentários

  1. Esse livro e o primeiro estão na minha lista pra ler desde o lançamento. Minha amiga acabou de ler os dois recentemente e cara, mesmo sendo meio que "auto ajuda" ele fala das coisas de uma forma tão peculiar que você aprende muito com ele, eu preciso muito ler. Adorei sua resenha e suas fotos ficaram perfeitas!!!

    ResponderExcluir
  2. Oiieee

    Achei legal esa abordagem do autor, mostrando a importancia de lidar com o problema e não se questionar do porque ele veio como a gente geralmente gosta de fazer e ficar repassando na mente. Feliz em saber que neste segundo vc conseguiu conectar melhor com a escrita e foi uma leitura melhor. Ainda quero conferir pelo menos esse livro.

    Beijos Alice

    www.derepentenoultimolivro.com

    ResponderExcluir
  3. Gostei das suas considerações. De cara não seria um livro que eu leria, mas agora sinto que preciso ler.

    ResponderExcluir
  4. Desde que lançou 'A Sutil Arte' fiquei com um pé atrás já que não sou muito chegado em livros de auto ajuda, porém, foi tanto falatório, tanta recomendação e adquiri recentemente e já descobri desse outro. Pelo visto é bom e bem, espero que eu goste.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem? Desde que conheci a Fê Neute e a vi divulgando os livros do marido eles me chamaram atenção. Primeiro por causa dos títulos, depois pelas edições. São os primeiros livros notados numa vitrine isso é fato! Com relação ao tema achei interessante a proposta do autor. Muitas vezes nos focamos mais no problema do que em buscar soluções e isso nos faz perder um tempo precioso como diz meu namorado haha Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  6. Ainda não consegui dar uma chace para essa leitura, li apenas o primeiro e gostei da proposta. Sua resenha fez com que adicionasse o livro na minha lista de desejados.

    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  7. Oi, que bom saber que nesse livro sua experiência foi melhor do que no anterior, mesmo com algumas coisas das quais você discorda do autor. Sobre resenhar, é mesmo algo difícil, mas vai por mim: sempre vai ter alguém que não ficou satisfeito, rsrs, então o importante é você sentir que falou o que queria e sentia que era necessário.

    ResponderExcluir
  8. Este é um livro que vi na livraria e fique com vontade ler. Lendo sua resenha só confirmo que devo ler mesmo.

    Bjo
    Tânia Bueno

    ResponderExcluir
  9. Fico feliz que tenha gostado mais dessa obra do que da primeira. Ainda não tive oportunidade de ler, mas não imaginava que esse livro abordava assuntos tão importantes como a depressão. Vou colocá-los na minha listinha. E PS: se o post te deixou mais leve, melhor ainda <3

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  10. Olá! Nunca pensei em ler um livro nessa temática e fico contente que essa leitura tenha sido melhor que a primeira. Como eu disse, não curto tanto esse tipo de temática, mas sinceramente, ultimamente tenho voltado os olhos para esses livros. Acho que vou me arriscar nesse.
    bjos
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Como falei anteriormente, minhas experiências com obras de não ficção são bem escassas, e por isso sempre fico com um pé atrás sobre realmente ler ou não. Sua opinião um pouco mais positiva desse com relação ao anterior me deixou mais animada, no entanto ainda não sei se é o momento de ler, por causa de alguns assuntos abordados pelo que vi. Adorei a resenha, e mana fala o que tiver que falar (a resenha é sua haha).
    Beijos,
    http://diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Que legal saber que a sua experiência com o segundo foi melhor que com o primeiro. Eu gostei de ver a sua resenha e espero que eu possa gostar do livro se for ler.

    ResponderExcluir
  13. Olá

    A ideia do Mark é causar desconforto. Somos acostumados a "meia" palavras. Acostumados a hipersensibilidade oriunda de um romantismo social vinda da cultura predominantemente ocidental.
    Temos medo de dizer Não e vivemos num ciclo de relacionamentos abusivos que vão desde o familiar passando pelo amoroso e terminando no profissional. A maioria das vezes fazemos coisas que não gostamos simplesmente para agradar os outros e por isso a abordagem do Mark torna-se tão dura, já que gostamos do que é leve e agradável aos ouvidos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Estes livros que parecem muito com auto-ajuda não me atraem muito. Sei que eles podem ter algo interessante, mas simplesmente não faz meu estilo.
    Porém sei que tem um público para este tipo de livro.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir

Postar um comentário

back to top